• Alan Mortean

Caminho dos sete, oito, nove lagos...

Atualizado: Abr 8

Diário de bordo 15 - Projeto Ciclos

Após nosso retorno da “Viagem dentro da viagem”, passamos mais um dia em Bariloche nos organizando para voltar a pedalar e nos despedindo dos amigos, antes de partirmos rumo norte, a Villa La Angostura, San Martin de los Andes e finalmente Chile!! Este é um trajeto que há muito tempo queríamos fazer, pois ele é bastante popular entre cicloturistas.

Foto1: Ruta 40...

Assim, numa quarta-feira nublada, cheios de alegria e expectativa por voltarmos a pedalar depois de um mês e meio, nos despedimos de Bariloche. O trajeto, pela Ruta 40, era quase plano, e depois de cerca de 20Km entramos na estepe, que nos recebia com sua paisagem quase desértica e um pouco de vento. Pedalamos 54km neste dia, parando num camping agreste (para ver o que é um camping agreste, veja o diário de bordo 14) ao lado de um dos braços do lago Nahuel Huapi, já dentro da área do Parque Nacional de mesmo nome, depois de deixarmos a estepe e nos aproximarmos dos Andes, com seus lagos, montanhas e bosques. Como era início de primavera, temporada baixa, o camping ainda não estava habilitado, mas estava aberto e lá acampamos gratuitamente.

Foto 2: Apreciando o por-do-sol. Camping Agreste, retornando ao pedal.

Neste mesmo dia, algumas horas antes, enquanto fazíamos nossa primeira parada ao lado da estrada para descansar e comer, um motociclista passou por nós e nos cumprimentou, como muitos outros, e uns metros depois deu meia volta e veio falar conosco. Assim conhecemos Leonardo Martinez Villegas, colombiano de seus 50 anos, cheio de alegria e energia, que está viajando de moto pela América do Sul. Ele deu de presente para a Marcela um par de luvas, pois ela tinha perdido as suas, e nos convidou a passar uns dias em sua casa quando estivermos na Colômbia. Viva a solidariedade!

Foto 3: Leonardo! Nosso segundo amigo Colombiano que esta viajando em moto.

No outro dia fizemos uma parada de duas horas para o café-da-manha numa praiazinha na beira de um lago, com direito a fogo para tomarmos um mate (chimarrão) e tostarmos uns pães. Nosso destino era a pequena e turística Villa la Angostura, onde dormimos duas noites na casa de Ana e família (contato da rede warmshowers.org). Ana entrou nessa rede para retribuir a outros cicloturistas o acolhimento que sua nora e seu filho Santiago estão tendo em sua viagem de bicicleta pela Argentina, onde sao acolhidos na casa de muitas pessoas. Isso é maravilhoso e cria uma espiral de ações positivas... uma aplicação do princípio filosófico de “Fazer aos outros o que gostaria que lhe fizessem”.

Em Villa La Angostura há o Parque Nacional Los Arrayanes, que é bastante famoso pelo bosque de arrayanes, que não visitamos, que é formado por vários exemplares dessas árvores lindas, que tem o tronco liso com cores variando entre o marrom e o laranja, e folhas verde escuras.

Foto 4: Mirantes presentes no caminho dos 7 Lagos.

A partir de Villa la Angostura oficialmente comeca o famoso Caminho dos Sete Lagos, que une esta cidade até a também turística San Martin de los Andes. O caminho, pela Ruta 40, passa por paisagens lindas, sempre combinando montanhas, neve, bosque e lagos, típicos da região cercana à Cordilheira dos Andes na Argentina. O caminho é bastante turístico, e nele cruzamos com outros cicloturistas, motoqueiros e vans de turistas que percorrem o caminho, que tem cerca de 110Km de extensão e está todo asfaltado e com acostamento. Ele está dentro da área de dois Parques Nacionais, o Nahuel Huapi e o Lanín, nele há vários miradores, campings e algumas hospedarias, que funcionam a todo o vapor na temporada alta (final da primavera e todo o verão). Todos esses fatores fazem com que seja um bom caminho para iniciar-se no cicloturismo, pois, além de ser lindo, é possível percorrê-lo pedalando cerca de 30Km por dia.

No nosso primeiro dia de pedal no Caminho dos Sete Lagos avancamos 28km, e armamos nossa barraca num banco de areia ao lado do rio Espejo Chico, onde tivemos a agradável companhia de duas mochileiras cheias de experiencia, Lesly e Maru. Nesse mesmo dia conhecemos o casal argentino que escreve no blog Pedalgônico (www.pedalgonico.blogspot.com.ar), que estava quase terminando uma viagem de milhares de Km desde o norte da Argentina.

Foto 5: Camping Lago Espelho Chico.

No segundo dia no Caminho, depois de uma geada na noite, fomos até o Lago Falkner. Era domingo, um bonito dia cheio de sol e haviam muitas famílias ali, talvez aproveitando o primeiro domingo de bom tempo depois do inverno. Montamos nossa barraca ao lado do Rio Villarino, num lugar protegido do vento e fora da vista das pessoas. Dormíamos tranquilamente dentro de nossos sacos de dormir quando, durante a madrugada, a Marcela escutou um grunhido e me despertou, tensa; poderia ser um puma rondando a barraca apesar da chance ser bem pequena. O fato é que a partir daí nós nao dormimos mais. Ela só se tranquilizou quando chegou o dia, e pode dormir um pouco.

Motivados pelo “puma”, resolvemos pedalar os 51km que faltavam até San Martin de los Andes em nosso terceiro dia dos Sete Lagos; a entrada da cidade está naturalmente decorada pelo lago Lacar, um verdadeiro cartão postal. Os últimos 15Km antes da cidade são de pura descida, mas antes disso há um trecho com subidas fortes numa paisagem que parece a estepe, e que nos fez esquecer que estávamos nos Sete Lagos.

Em San Martin não conseguimos um contato para dormir e tivemos que buscar um hostel, que não foi muito barato. Apesar disso ficamos ali duas noites para descansar um pouco e buscar informação sobre que caminho usar para cruzar ao Chile. Aproveitamos o tempinho também para ir à praça da cidade oferecer algumas fotos que a Marcela tem tirado na viagem para as pessoas, que chamamos “postales”, e assim ganhamos 80 pesos, cerca de 30 reais. Além disso, fomos a um hortifrúti e a uma padaria perguntar se tinham frutas, legumes e paes velhos, que não iriam vender e que poderiam nos doar; para nossa alegria, eles nos deram uma bolsa cheia de frutas e legumes, e uma bolsa de pao doce. Viva a solidariedade!!

Foto 6: Caminho rumo ao Paso HUA HUM.

Para cruzar ao Chile escolhemos seguir o passo de montanha Hua Hum. Passo de montanha é um caminho que cruza uma montanha, e no caso de Argentina e Chile há vários passos, que são caminhos que cruzam os Andes e ligam os dois países.

Foi um pouco confuso encontrar o início do caminho para o passo Hua Hum, que está dentro do Parque Nacional Lanin, pois ele não está bem sinalizado. Mas uma vez encontrado, não tem erro, é só seguir o caminho principal de rípio (uma mistura de terra com brita), com subidas e descidas, e alguns trechos com pedras soltas. Caminho com pouquíssimo movimento. Dormimos a menos de 10 Km da fronteira, no lindo camping livre de Chachín, sozinhos novamente, e desta vez com uma ótima grelha onde cozinhar. Aliás, nos dois dias que dormimos no camping tivemos uma alimentação gourmet, pois tínhamos vários alimentos que não podiam entrar no Chile, então tínhamos que comer tudo. Foi um prazer!!

Foto 7: Termas Deñi, um paraíso. Parque Nacional Lanin

Ali perto conhecemos as termas de Queñi, que são pequenas quedas d’água naturalmente quentes no meio do bosque. Para chegar até elas, pedalamos por uma hora e meia, caminhamos por uma hora e cruzamos alguns rios rasos com água bem fria vinda diretamente dos Andes (e ainda tinha a volta). As termas eram um pequeno paraíso, uma recompensa aos que se aventuravam a chegar até ali. Na volta a Marcela caiu da bicicleta atravessando um dos rios e também num outro momento, quando um galho entrou no meio de sua roda e a travou... era seu dia de “sorte”; mas foram apenas sustos, a Marcela é determinada e sempre se levanta para continuar adiante.

Assim, com lagos e bosques, campings e pumas, termas e quedas, passamos nossos últimos dias na linda Argentina, onde viajamos por três meses.

...

O Chile nos espera logo ali...

Informação do percurso

Mapa do percurso

Dia 204 ao 213 - 13/10/2015 a 22/10/2015

De: Bariloche, Argentina

Para: Chachín, Parque Nacional Lanín, Argentina

Gastos até agora: R$11.794,57

Gastos por dia: R$55,37

Distância pedalada até agora: 2578km

Distância percorrida de carona, de ônibus, de barco e de trem até agora: 6151km

Furos de pneu até agora: 10

#Argentina #OsAntípodas #ProjetoCiclos #cicloturismo #hostelalojamento #diáriodebordo

0 visualização

2015 - 2020 por Os Antipodas. Copyleft