• Os Antípodas

Projeto Ciclos - Diário de bordo 6

Atualizado: Abr 8

Após gozar alguns dias de descanso, saímos da casa de Marina e Lucrécia; a ideia para o retorno ao pedal seria pegar carona. Isso mesmo, não seguiríamos pedalando, e explico o porquê.

Quando saímos de Posadas peta Ruta Nacional 14, percorremos 200 km até Santo Tomé sem "banquina" (acostamento). Foi um trecho dificil, o mais complicado da viagem até agora. Muito trânsito de veículos, principalmente de caminhões e ônibus, que trafegam a velocidades altas numa pista simples. Muito perigoso, a tensão estava sempre presente e não aproveitamos, fiquei nervosa, com medo, cansada, e o Alan também. Não estávamos dispostos a passar por isso novamente, então optamos por tentar carona.

Foto 1: Depois de 3hs tentando, sem sucesso, conseguir uma carona, seguimos nossa viagem dentro de um ônibus.

Nossa ideia era ir a Paso de los Libres, a 200Km dali, a partir de onde poderia haver acostamento. Durante 3horas pedimos carona a caminhões, carretas, caminhonetes, carros pequenos, mas ninguém, nenhum veículo se animou a nos ajudar. Assim, compramos uma passagem de ônibus para Paso de los Libres. Passagem na mão, agora temos que desmontar as bikes. Desmontar??? Sim, aqui na Argentina a bicicleta tem que estar desmontada e lacrada para ser transportada. Isso sem falar que é necessário pagar pelo excesso de peso.

Foto 2: Bikes desmontadas para transportá-las dentro dos ônibus. Aqui se cobra uma taxa extra para levar as bicicletas.

Tudo pronto, partimos para Chajarí. Não escrevi errado, fomos sim para Paso de los Libres, mas chegamos tarde na cidade e não tínhamos contatos, então seguimos para Chajarí, localizada no departamento de Entre Rios, onde tínhamos um contato e "banquina" para seguir com segurança. Às 22h chegamos à tranquila e charmosa cidade de Chajarí, sob um frio que era novo para nós dois. Montamos as bikes e perto da meia noite partimos em busca de hospedagem (como era muito tarde optamos por pagar uma hospedagem barata).

No outro dia buscamos nossos contatos, o casal Amparo e Santyago, que nos recebeu em sua casa com tanto carinho que é dificil descrever. Passamos lindos dias na companhia deste casal que viajou desde o México até a Argentina em uma Kombi, trabalhando muito e gastando pouco. Nos contaram sobre sua viagem, o quanto aprenderam e quantas amizades fizeram; nos ensinaram a fazer alfajor argentino, para que assim possamos vendê-los e conquistar uma graninha durante nossa viagem. Eles nos estimularam a sair nas ruas de Chajarí e tentar vender, e assim fomos, com um pote de alfajores e muita vergonha. Oferecemos em algumas lojas, mas não tivemos muito sucesso, então fomos a uma cafeteria, pedimos dois capuccinos, e tomamos comendo alfajor.

Foto 3: Aula de alfarjor argentino. A resolução não está boa, mas me encanta esta foto por transmitir exatamente a alegria que vivemos ao lado deste casal.

Durante nossa estadia em Chajarí também fomos visitar a planta de tratamento de resíduos da cidade; um lugar muito bem planejado e organizado pela prefeitura local e que descreveremos com mais detalhes num texto que postaremos em breve. Além disso, fomos a uma sessão de cinema numa biblioteca, e para nossa surpresa o documetário era "O sal da terra", sobre a vida e o trabalho de Sebastião Salgado, um fotógrafo mineiro reconhecido mundialmente, com uma linda experiência de vida.

Foto 4: Planta de tratamento de resíduos da cidade de Chajarí/Argentina. Muito bem organizada e planejada pela prefeitura da cidade. Um exemplo a ser seguido.

Este casal de "viajeros" possibilitou ainda um encontro muito querido e importante para nós, novatos na bike. Conhecemos Jime e André, um casal argentino, que está viajando de bicicleta pelo país. Lavidadeviaje.com, o site que eles administram e compartilham suas aventuras e dicas, é simplesmente incrível e tem muita informação sobre o pedal na Argentina.

Foto 5: Caminhos alternativos nem sempre são os mais rápidos, mas certamente os mais bonitos e surpreendentes.

Nossos quatro amigos despertaram cedo para nos dar um abraço e nos desejar sorte em nossa viagem quando saimos de Chajarí numa fria manhã, mas com o coração aquecido. É incrível como num curto período podemos criar vínculos e amizades que aquecem nossa alma; como é legal conhecer pessoas que pensam como nós. Cheios de energia partimos para Colonia de Ayui e, seguindo os conselhos de nossos amigos ciclistas, resolvemos abandonar as rutas principais e entrar nas rutas alternativas. Ali, belas paisagens e caminhos surgiram frente aos nossos olhos e foi assim que percorremos 74km até chegar à beira do rio Uruguay. Lugar lindo, em frente ao rio, o mais bonito até agora onde armamos nossa barraca, dando um até breve para a Argentina, pois na manhã seguinte iríamos para o Uruguai.

Foto 6: Acampar na beira do Rio Uruguay, esta foto não transmite toda a beleza do lugar.

Acordamos mais tarde que o normal, mas o Uruguai está logo ali, do outro lado do rio. Então preguiçamos um pouco. Pedalamos pouco, pois ao chegar na ponte fomos informados que não se pode cruzá-la em bicicleta. Assim mais uma vez colocamos nossas companheiras dentro de um ônibus, mas o motorista não nos pediu para desmontar e muito menos pagar por este transporte, nos deixando na cidade de Salto. Novos ares vindo do novo país nos deixavam alegres e empolgados. Mal saimos da rodoviária, estávamos num cruzamento com cara de interrogação, e um senhor parou seu carro, desceu e veio até nós perguntar se precisávamos de alguma ajuda. Que legal! A primeira impressão está muito boa.

Foto 7: Família linda de Alicia, nos acolheu em nossos primeiros dias no Uruguai.

Nossos primeiros dias em terras uruguaias passamos na casa da Alicia Mourglia, um contato através da rede warmshowers.com. Seus pais, uruguaios tradicionais, nos trataram como filhos. Quanto carinho! Ficamos 2 dias em Salto e partimos para Termas del Dayman, onde pretendemos ficar mais tempo para tentar trabalhar, já que se inicia a temporada de férias e lá é um povoado turístico. Em nosso próximo Diário falaremos de Termas e nossa temporada nesta pequena cidade.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Informações da viagem

Mapa do percurso:

Foto 8: Caminho percorrido até o momento.

Dia 85 ao 92 - 15/06/2015 a 23/06/2015

De: Santo Tomé , Argentina

Para: Salto, Uruguai

Gastos até agora: R$ 3242,00

Gastos por dia: R$34,86

Distância pedalada até agora: 1267

Distância percorrida por outros transportes até agora: 1289

Furos de pneu até agora: 4

#cicloturismo #Argentina #Uruguai #ProjetoCiclos #OsAntípodas #diáriodebordo #atraçãoturística #campingpago

16 visualizações

2015 - 2020 por Os Antipodas. Copyleft